O blog dos assuntos aleatórios.
30.12.08

Em conjunto, aqui, com o meu bom amigo, desenvolvemos uma nova teoria sobre o sentido de vida dos seres humanos. Aviso os membros menos atentos da audiencia que algumas linhas abaixo, vai ser feita história! Em um post foleiro, de um blog foleiro, vai ser descoberto o sentido da vida. O segredo pelo qual filosofos se degladiaram durante centenas de anos, vai ser revelado, após amadurecer dentro de cortex cerebrais relativamente perturbados, mas lúcidos!

No fundo, o sentido da vida de qualquer pessoa, é ter razão! Seja por que motivo for onde for. Chamemos a esta noção, o razionismo. Tal como o nome indica, o razionismo diz que o objectivo ultimo de qualquer ser humano é ter razão. Se não, vejamos: O Hitler e os seus colaboradores, mataram milhões de pessoas, porque tinham razão. O Lance Armstrong ganhou um numero irreal de Tours, para provar ao mundo que tinha razão. Os putos da Ribeira saltam da ponte D. Luis, porque se acham os reis, e portanto fazem-no para assim provarem que têm razão. E poderia continuar indefinidamente...

No entanto, ninguem nasce com o "gene" do razionismo. Duvido que algum geneticista, por mais empedernido que seja, o encontre. Esta noção é desenvolvida pelos vários agentes de socialização da nossa vida, como os nossos pais, que, quando discutem, esgrimem argumentos até à exaustão, só pela subjectiva e efémera vitória de ter razão. Na escola, os professores ensinam às crianças/jovens, que o que eles dizem, é que está certo, e como tal a discussão destes mesmos conhecimentos, está informalmente proibida, pois eles, assim, podem manter a sua razão. Dentro das nossas relações sociais, existem sempre aqueles, que, quando mudamos a nossa opinião sobre algo, tão alegremente e vitoriosamente no-lo apontam e dependendo do grau de intimidade, utilizam adjectivos para nos descrever, tais como, "manso", "cónó", "mole" etc.

Pois...Naturalmente, isto bate qualquer noção que o razionismo possa ter uma origem genética. Assim, e como manda a cena, nós vamos perpetuar este alegre padrão e carregar o estandarte da nossa razão em todas as situações, sob a pena de, em muitas ocasiões, podermos evitar para nós mesmos e para os outros, um sem-fim de problemas e complicações. Isso nunca! Porque lá está...Poderiamos perder a nossa razão. E depois? O que aconteceria?

Nesta linha, já devem estar a perceber a razão deste post: provar que eu e este sócio...Bem...Que nós é que temos razão.

 

(Sim...Comentários que possam fazer mossa neste conceito do razionismo, não serão publicados).

música: Cake - Pretty Pink Ribbon
link do postPor Emanuel, às 01:03  comentar

De Cruz a 27 de Janeiro de 2009 às 22:40
É meu AMIGO! :)

 
mais sobre mim
Dezembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
31


Taste is
blogs SAPO