O blog dos assuntos aleatórios.
16.4.08
Quem será esse entidade misteriosa que tanto é referida nessa musica tão popular que é o "Ò Malhão"? Esta pergunta preocupa-me à já algum tempo, pois a musica farta-se de descrever esse misterioso sujeito, sem sequer dar uma minima informação relevante sobre quem ele é. Como por exemplo, de onde vem, para onde vai, quem são os seus pais, hobbies, etc... A mim, nunca ninguem me informou o que raio, ou quem é o Malhão! Será que foi durante os anos do 25 de Abril, em que os Comunistas tinham os seus 15 minutos de fama aqui no nosso jardim à beira mar plantado, que esta canção foi uma especie de palavra-chave James Bondiana que agentes do KGB partilhavam jocosamente entre si e que mais tarde se tornou uma musica popular? Ou seria bem mais antiga que isso, e já o próprio Viriato cantava para motivar os seus guerrilheiros Lusitanos a malhar nas legiões romanas que invadiam a Peninsula?
Para uma analise mais segura e seguindo o paradigma do Jack o Estripador, observemos com atenção a letra desta conhecida musica:
 
"Ó malhão, malhão,
que vida é a tua?
Ó malhão, malhão,
que vida é a tua?
Comer e beber, ó terrim, tim, tim,
passear na rua.
Comer e beber, ó terrim, tim, tim,
passear na rua."
 
Desta primeira estrofe da musica, já podemos retirar algumas sabias conclusões. Percebe-se claramente que o Malhão é portanto uma pessoa, muito provavelmente do sexo masculino ou um transexual de orientação feminino -> masculino e que gosta da boa vida, pois segundo a descrição, o Malhão ou está a comer ou a beber ou a passear. No entanto, é legitimo perguntar, que sendo assim, de onde é que o Malhão tira o dinheiro para comer e beber? Será que está na lista do Top 10 dos caloteiros de algum restaurante/tasca ou similares? Ou come e bebe na casa de alguma senhora idosa no seu bairro e paga a conta dessas provisões através de favores sexuais? No entanto, a musica descobre ligeiramente o veu em relação a esta estranha situação:
 
"Ó malhão, malhão,
ó malhão d'aqui,
Ó malhão, malhão,
ó malhão d'aqui,
se dançar, dancei, ó terrim, tim, tim,
se fugi, fugi.
se dançar, dancei, ó terrim, tim, tim,
se fugi, fugi."
 
Daqui podemos tirar duas ilações bastante correctas e com alguma fiabilidade: O Malhão foge e o Malhão dança. Podemos tambem concluir que o Malhão gosta de se manter em forma, pois não parece ter um estilo de vida sedentário, ou está a passear na rua, a dançar ou a fugir, que geralmente implica que este se desloque com alguma celeridade, o que implica esforço. É justo assumir, portanto, que o Malhão é um sujeito em forma e de alguma forma atraente, pois os estereotipos vigentes na nossa sociedade demonstram nos que os apreciadores de este estilo de vida despreocupado são fisicamente atraentes talvez devido a niveis de auto-confiança significativamente superiores. Apesar disto, ainda não é claro como é que o Malhão paga pelas suas refeições. Deduzindo da reflexão anterior, talvez o facto de o Malhão realizar favores sexuais, não será então, tão descabido quanto isso. Podemos assim alargar facilmente o espectro de favorecidas/favorecidos, para mulheres/homens que entrem na categoria de donas/donos de casa desesperada(o)s e que após a hegada do respectivo conjugue à habitação do casal ou este ocupando o mesmo espaço fisico do Malhão e da(o) favorecida(o), o Malhão tenha que fugir, para assim proteger a sua integridade fisica. Ainda assim, debatemo-nos com uma questão: Qual é a naturalidade do Malhão? Ora prossigamos:
 
"Ó malhão, malhão,
ó malhão vai ver,
Ó malhão, malhão,
ó malhão vai ver,
as ondas do mar, ó terrim, tim, tim,
ai, onde vão ter.
as ondas do mar, ó terrim, tim, tim,
ai, onde vão ter."
 
Naturalmente, esta preocupação com o mar, parece ser algo bastante português. Assumamos que durante a sua fuga, o Malhão tem que partir para outra terra para assim poder continuar a desfrutar do seu estilo de vida, incólume. Visto que este sujeito, vive dos seus atributos fisicos, não lhe beneficia nada ele ter o seu fisico massacrado por algum(a) conjugue furioso com a sua recente aquisição de ornamentos para a sua cabeça, patrocinados pelo bravo Malhão. Possuimos então, alguma informação que nos instrui que o Malhão é português. Mas mais precisamente de onde? Nada como verificar os relatos populares:
 
"Ó malhão, malhão,
ó malhão do Norte,
Ó malhão, malhão,
ó malhão do Norte,
quando o mar está bravo, ó terrim, tim, tim,
faz a onda forte.
quando o mar está bravo, ó terrim, tim, tim,
faz a onda forte."
 
"Ó malhão, malhão,
ó malhão do Sul,
Ó malhão, malhão,
ó malhão do Sul,
quando o mar está manso, ó terrim, tim, tim,
faz a onda azul.
quando o mar está manso, ó terrim, tim, tim,
faz a onda azul."
 
Aqui a analise complica-se. Claramente, o/a autor(a) da musica pretende baralhar-nos quanto à origem exacta do Malhão. Os sinais são claros de que o Malhão é portugues, é do litoral e tem alguma estranha ligação com Poseídon, pois parece ter algum poder sobre as ondas do mar, apesar de aparentemente respeitar as leis da fisica. Está descartada a hipótese de o Malhão ser portanto uma divindade. Como existem relatos contraditórios quanto à origem exacta do Malhão, vamos então seguir a velha maxima que nos diz que no meio é que está a virtude e utilizar as novas tecnologias para calcular então qual a origem do Malhão. Segundo o Google Earth, a zona litoral portuguesa, medida desde a foz do Rio Minho até Vila Real de Santo António, possui 660 Km de costa. Seguido a premissa anterior, a localidade de origem do Malhão verifica-se no quilómetro 330 da costa. Desta forma, segundo a mesma aplicação informática, a localidade costeira mais proxima desta marca é a Ericeira. Quem lá esteve atesta que o mar nessa zona é forte e azul, o que vai de encontro à letra desta musica, sapientemente analisada, para concluir quem afinal seria o Malhão.
Assim, o Malhão é Português, do genero masculino, é um prostituto que se prostitui para saciar as suas necessidades básicas e dedica-se à dança quando não anda a fugir de alguem que o queira agredir. Na volta ainda é surfista.
sinto-me: Chillin'
música: Cake - Short Skirt/Long Jacket
link do postPor Emanuel, às 18:15  comentar

De justiceiro a 20 de Julho de 2010 às 18:56
és um burro e não sabes nada seu estúpido

 
mais sobre mim
Abril 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


Taste is
blogs SAPO